Juvenis

Lição 3 - A natureza e a queda II

CASA PUBLICADORA DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

Juvenis: Queda e redenção

COMENTARISTA: REYNALDO ODILO

COMENTÁRIO: PROF.ª PAULA RENATA SANTOS

LIÇÃO Nº 3 – A NATUREZA E A QUEDA

“De todo vacilará a terra como o ébrio e será movida e removida como a choça de noite; e a sua transgressão se agravará sobre ela e cairá e nunca mais se levantará” (Is 24.20).

Esboço da Lição

1. A NATUREZA E A QUEDA

2. MUDANÇA GENÉTICA

3. O CATIVEIRO DA NATUREZA

Objetivos

Apontar os reflexos da Queda na natureza;

Conhecer criticamente a teoria panteísta e sua influência na atualidade;

Mostrar que as catástrofes naturais são decorrentes da Queda do homem.

Querido (a) professor (a), no próximo domingo vamos analisar com os juvenis as consequências da Queda humana no meio ambiente. E não apenas isto, mas também enfatizar a nossa responsabilidade hoje em relação a ele.

Por meio desta lição é importante que seus Juvenis compreendam, além dos objetivos traçados em sua revista, que cuidar do meio ambiente não é uma pauta meramente política, social ou ritualística de algumas religiões panteístas, mas primordialmente, desde o Éden (Gn 2.15), um dever de todo ser humano, ainda mais do cristão – exemplo e reflexo de Cristo na terra.

Em Mateus 6.26 Jesus comprovou que Deus ainda se importa com toda a sua criação, não apenas com os seres humanos; o seu zelo e amor não eram restritos ao Éden pré-Queda. Como Jesus disse até mesmo um ser tão simples, como uma ave no céu, tem valor para o Pai celestial, tanto que é Ele mesmo que as alimenta.

Portanto, o pecado original não justifica que fiquemos indiferentes, frente aos seus impactos no planeta onde vivemos. Por isso mesmo ao longo de toda a Bíblia observamos preceitos acerca da mordomia do ser humano sobre toda a natureza criada por Deus.

Da mesma forma que males morais, crimes de todas as espécies são decorrentes da queda e o Senhor não toma o culpado por inocente em nenhum destes casos; também com os reflexos maléficos da Queda na natureza não devemos compactuar. Antes, devemos combatê-los, zelando por toda a criação de Deus. Diferente dos panteístas nós não adoramos a natureza, mas cuidamos dela em adoração ao nosso Deus que a criou.

Para frisar este foco específico, sugerimos que você previamente separe alguns versículos e distribua para que alguns voluntários os leiam em voz alta e a turma debata acerca do que acharam sobre os mesmos, correlacionando ao tema.

Seguem algumas sugestões:

"Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no Jardim do Éden para o lavrar (cultivar) e guardar” Gênesis 2.15.

“Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos” Salmos 19.1.

“Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam. Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios” Salmos 24.1,2

“Tu visitas a terra e a refrescas; tu a enriqueces grandemente com o rio de Deus, que está cheio de água; tu lhe dás o trigo, quando assim a tens preparada; tu enches de água os seus sulcos, regulando a sua altura; tu a amoleces com a muita chuva; tu abençoas as suas novidades” Salmos 65.9,10.

“A glória de Deus é manifestada na criação e na conservação de todas as coisas

Tu, que nos vales fazes rebentar nascentes que correm entre os montes.

Dão de beber a todos os animais do campo; os jumentos monteses matam com elas a sua sede. Junto delas habitam as aves do céu, cantando entre os ramos. Ele rega os montes desde as suas câmaras; a terra farta-se do fruto das suas obras.

Ele faz crescer a erva para os animais e a verdura, para o serviço do homem, para que tire da terra o alimento e o vinho que alegra o seu coração; ele faz reluzir o seu rosto com o azeite e o pão, que fortalece o seu coração.

Satisfazem-se as árvores do SENHOR, os cedros do Líbano que ele plantou, onde as aves se aninham; quanto à cegonha, a sua casa é nas faias.

Os altos montes são um refúgio para as cabras monteses, e as rochas, para os coelhos. Designou a lua para as estações; o sol conhece o seu ocaso. Ordenas a escuridão, e faz-se noite, na qual saem todos os animais da selva. Os leõezinhos bramam pela presa e de Deus buscam o seu sustento.

[...] Ó SENHOR, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas. Tal é este vasto e espaçoso mar, onde se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes” Salmos 104.

“Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis” Romanos 1.20.

“Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta” Mateus 6.26a.

O Senhor lhe abençoe e capacite! Boa aula.

Fonte: http://www.escoladominical.com.br/home/licoes-biblicas/subsidios/juvenis/1021-li%C3%A7%C3%A3o-3-a-natureza-e-a-queda.html Acesso em 12 jul. 2018

Copyright © 2003 - 2018 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.