Get Adobe Flash player
Ter, 06 de Dezembro de generic cialis pharmacy review 2011 18:09

4º Trim. 2011 - JUNIORES – CPAD - Lição 11: Daniel, o Profeta do Palácio

Escrito por  Jaciara da Silva
Dar nota para esse item
(3 votos)

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

JUNIORES – CPAD
4º Trimestre de 2011
Tema:
 Deus fala com o seu povo
Comentarista: Laudicéia Barboza da Silva

LIÇÃO 11 – DANIEL, O PROFETA DO PALÁCIO

Texto Bíblico:Daniel 1.1-21

Ao Mestre

Prezado (a), o quando Daniel foi levado pelos babilônios aproximadamente no ano 605 a.C., estava em sua adolescência, na idade entre 14 e 16 anos. É provável que ele fosse desse linhagem real, já que o rei Nabucodonosor, ordenou que se escolhesse jovens da classe dos nobres para que fossem treinados como lideres e free sample pack of viagra sábios na Babilônia. Nesta época, a Babilônia era o poder central mundial. Daniel estava entre os primeiros cativos que foram transportados de Judá. Em uma nação estranha de idioma e costumes, ele decidiu manter-se firme na adoração ao único Deus verdadeiro. Apesar de estar afastado de seus pais em uma terra estranha, e sofrer grandes pressões, ele manteve-se fiel a Deus obedecendo-O em tudo.

Deus honrou a fidelidade desse jovem, alem de abençoá-lo ainda lhe conferiu elevado cargo no governo babilônico.

O ministério de buy softtabs cialis Daniel se estendeu por mais de sessenta anos, tendo servido sob os reis babilônicos: Nabucodonosor, Evil-Merodaque, Labashi-Marduque, Nabonido  Beltasar. Quando os persas conquistaram a Babilônia, Daniel era considerado um conselheiro de alta estima e foi convidado para continuar servido na administração do novo imperador – Ciro. 

Deus continue a abençoar o seu ministério. Boa aula!

Objetivo

Professor ministre sua aula de forma a conduzir seu aluno a compreender que, mesmo longe dos pais, Daniel demonstrava um comportamento exemplar, e através de seu exemplo ele conduziu reis a crer em Deus.

Exercitando a memória

“Porque somos como o cheiro suave do sacrifício que Cristo oferece a Deus, cheiro que se espalha entre os que estão sendo salvos e os que estão se perdendo.” (2 Co 2.15 – NTLH).

Nosso comportamento pode ser comparado a odor. Quando bom pode reproduzir como cheiro suave como de um maravilhoso perfume, que alegra e suaviza a vida dos que nos vêem. Porém, quando mau, é desagradável, fazendo com que as pessoas até evitam falar conosco. Que tipo de odor estamos exalando em nosso cotidiano?

Crescendo no conhecimento

Crianças, vocês se lembram que ao aprendermos sobre o profeta Jeremias, nos dissemos que o ovo de Israel foi levado como escravos para a Babilônia? Pois bem, nossa historia de rectal viagra hoje é sobre um jovem que foi ente os primeiros escravos deportados – seu nome: Daniel.

O rei da Babilônia e seu exercito invadiram a terá do povo de Deus, venceram e levaram muitos prisioneiros para a Babilônia. Entre os cativos que foram levados estavam Daniel e cialis online from dreampharmaceuticals seus três amigos: Sadraque, Mesaque e Abede -nego.

Um dia Aspenaz, chefe dos servos do rei, disse aos prisioneiros:

−  Todos vocês jovens que forem inteligentes e tiverem boa saúde, irão viver no palácio do rei.

−  Por que? – perguntaram eles.

−  O rei deseja que sejam treinados para líderes. A vocês será dada boa instrução e a mesma comida que o rei come. Dentro de três anos serão apresentados ao rei por que ele deseja que o ajudem a administrar o país.

Talvez ao ouvirem essas palavras, os quatro jovens tenham ficado muito contentes. Embora se sentissem infelizes por viverem em terra estranha, longe de seus lares, a idéia de irem morar no palácio do rei, tendo boas escolas e bons cargos...

Bem, isso não era de todo mal.

Quando chegou a hora da refeição, os servos trouxeram a eles a mesma comida que serviram ao rei. Os quatro olharam para aqueles manjares e depois um olhou para o outro. Eles não podiam comer aquela comida! Absolutamente não podiam. Era tudo muito rico e muito bom, mas era alimento proibido por Deus. E havia vinho também! Eles tinham aprendido que o vinho era uma bebida em que não deviam  tomar. Comer ou beber das mesmas coisas que o rei, era pecado.

−  Que faremos? – disseram eles – Se não comermos com certeza seremos mortos.

Daniel refletiu um pouco e decidiu que acontecer o que acontecesse, ele não tocaria naqueles alimentos. Assim, dirigindo-se ao servo do rei, disse:

−  Meus amigos e buy discounted cialis softtabs eu resolvemos que não devemos comer o que nos foi servido. Podemos comer somente vegetais e beber água?

O servo, pois a mão na cabeça e respondeu aflito:

−  Eu não posso permitir isso, porque temos ordens do rei. Se vocês ficarem doentes o rei se zangará e mandará cortar minha cabeça.

Mas Daniel estava mesmo decidido e foi procurar outro servo, que também ficou aflito e lhes respondeu a mesma coisa.

−  Por favor – implorou Daniel – deixem-nos experimentar durante dez dias.

Depois vocês nos examinarão e os outros jovens que estão comendo a comida do rei e verão quem estará mais saudável, nós ou eles.

Finalmente o sevo concordou com as palavras de Daniel e durante dez dias lhes serviu apenas vegetais e água. No fim do tempo determinado os quatro jovens estavam muito mais robustos que os outros e o sevos lhes disse que podiam continuar com esse regime durante três anos e que durante esse tempo freqüentariam as aulas no palácio do rei. Deus ajudou os rapazes e online viagra overnight eles aprenderam muitas coisas tornando-se cheios de lowest generic generic cialis pills sabedoria, fortes e sadios.

Assim chegou o dia dos jovens se apresentarem diante do rei. Lá estavam também os moços que tinham se alimentado com os manjares. Os nossos jovens responderam a todas as perguntas que lhes foram feitas, mas os outros não. Responderam as perguntas que os sábios do reino não puderam responder.

Naturalmente o rei os quis para o seu serviço e lhes deu cargos importantes no governo do país.

Dois anos depois o rei Nabucodonosor teve uns sonhos que o deixaram tão preocupados que não podia dormir. Então ele mandou chamar os sábios, os adivinhos, os feiticeiros e os astrólogos, para que eles explicassem os sonhos. Eles pediram que o rei explicasse o sonho para que eles pudessem dizer o significado. Mas o rei respondeu que eles teriam que contar o sonho e explicar o significado, e se eles não conseguissem seriam mortos, mas se eles conseguissem receberiam presentes e prêmios.

Os sábios tentaram ganhar tempo tentando convencer o rei a contar o sonho.

Mas o rei não se deixou enganar por eles e disse que iria dar a todos o mesmo castigo.

Os sábios então responderam ao rei que não havia ninguém no mundo capaz de fazer o que o rei queria.

O rei ficou tão furioso que mandou matar todos os sábios da Babilônia. A ordem foi publicada, e então foram buscar Daniel e seus companheiros para que eles também forrem mortos.

Então Daniel foi falar com o rei, e ele concordou em esperar, a fim de dar tempo a Daniel explicar o sonho. Daniel foi para casa e contou tudo aos seus amigos Sadraque, Mesaque e Abede-nego. Daniel pediu que orassem ao Deus do céu, pedindo que tivesse pena e lhes mostrasse o que aquele sonho misterioso queria dizer. Naquela noite Daniel teve uma visão, e nela Deus mostrou o que o sonho queria dizer. Daniel louvou a Deus em agradecimentos e depois foi procurar ao rei.

O rei perguntou a Daniel:

−  Você pode contar o meu sonho e explicar o que ele quer dizer?

Daniel respondeu:

−  Não há sábios, adivinhos, feiticeiros nem astrólogos que possam dar a explicação que o senhor está exigindo. Mas há um Deus no céu que explica mistérios. Foi por meio do sonho que ele fez o senhor saber o que vai acontecer no futuro. E agora ó rei, vou explicar o sonho e as visões que o senhor teve enquanto dormia.

Daniel contou o sonho e deu a explicação certa.

Então o rei Nabucodonosor disse a Daniel:

−  O Deus eu vocês adoram é, de fato, o mais poderoso de todos os deuses e é o Senhor de todos os reis. Eu sei que é ele quem explica mistérios, pois você me explicou este sonho misterioso.

Em seguida o rei colocou Daniel como alta autoridade do reino e lhe deu também muitos presentes de valor. Ele pôs Daniel como governador da província da Babilônia e o fez chefe de todos os sábios do país. A pedido de impotence drug cialis pills Daniel, o rei pôs Sadraque, Mesaque e Abede-nego como administradores da província da Babilônia, e Daniel ficou na corte real, no palácio do rei

Aplicação da Lição

Amado (a) enfatize aos pequenos que mesmo quando circunstancias ou outras pessoas tentarem forçá-los a afastar-se de Deus, que devem permanecer firmes. O praticar más ações, brigar com outros, mentir, vícios que começamos a fazer e quando vemos estamos escravizados por eles, etc., são coisas que nos afastam de Deus.

Precisamos nos manter fieis a Deus, obedecendo os seus preceitos que sempre nos trará felicidade, enquanto que o desobedecer a Ele só trará conseqüências que nos farão infelizes.

Mantendo-se fieis Deus nos livrará de qualquer perigo que venhamos a enfrentar, e Seu Nome será glorificado e nós seremos honrados como pessoas integras e fieis a Deus.

Daniel apesar de toda a sua eficiência como estadista, era também reconhecido por seu relacionamento com Deus e sua total dedicação a ELE, que podia ser visto através de seu comportamento, num caráter excelente e por todos reconhecido por sua honestidade inabalável.

Fontes Consultadas:

·         Bíblia de Estudo de Aplicação Pessoal – Editora CPAD – Edição 2003

·         Bíblia Shedd – Editora Mundo Cristão – 2ª Edição

·         Bíblia de Recursos para o Ministério com crianças – APEC – Editora Hagnos – Edição 2009

·         Richards – Lawrence O. – Guia do leitor da Bíblia – Editora CPAD – 8º Edeus ição/2009

Colaboração para o Portal Escola Dominical – Profª. Jaciara da Silva